GT 12 – Trabalho e Economia Solidária

0

12) Trabalho e Economia Solidária

Coordenadores: Luis Inácio Gaiger (Unisinos) e Mario Henrique Guedes Ladosky (UFCG)

As contradições inerentes à forma capitalista de organização social, que se manifestaram de maneira mais efetiva a partir da crise estrutural da década de 1970, vêm induzindo trabalhadores e trabalhadoras a buscar alternativas ao desemprego e às desigualdades sociais. A Economia Solidária, que é um fenômeno histórico e mundial, passou então a ganhar destaque no Brasil e no exterior como forma de organização de trabalhadores através de cooperativas de produção, cooperativas de trabalho, clubes de troca, bancos comunitários, fábricas recuperadas, associações, etc. Os Empreendimentos Econômicos Solidários, como ficaram conhecidos, caracterizam-se pelo trabalho associado e/ou autogestionário, pela propriedade coletiva dos meios de produção e pela divisão igualitária dos resultados. São empreendimentos que se apresentam como contrários à lógica de acumulação e competição capitalista buscando a emancipação do trabalho. Tendo por base estes elementos, o objetivo deste GT é a reflexão, a crítica e a apresentação de interpretações teóricas sobre as diversas experiências de trabalho relacionadas à Economia Solidária desenvolvidas no Brasil e no exterior. Os artigos devem descrever, comparar e analisar pontos como: 1 – as condições de trabalho dos trabalhadores da Economia Solidária; 2 – os processos de organização do trabalho associado/autogestionário e seus resultados; 3 – as políticas públicas que fomentam a geração de trabalho e renda através da Economia Solidária; 4 – o papel das experiências autogestionárias na ressignificação contemporânea do trabalho; 5 – Economia Solidária e terceirização.

Share.

Powered by themekiller.com