Carta do Rio

0

CARTA DO RIO DE JANEIRO

Rio de Janeiro, 09 de setembro de 2017

A Associação Brasileira de Estudos do Trabalho – ABET -, em seu XV Encontro, realizado na cidade do Rio de Janeiro, de 06 a 09 de setembro do corrente ano, reuniu pesquisadores de diferentes áreas do conhecimento que têm em comum o trabalho como objeto de seu fazer profissional.

No contexto atual de transformações profundas que estão sendo introduzidas em todas as dimensões das atividades laborais no país, sociólogos, economistas, psicólogos, juristas, assistentes sociais, historiadores e outros profissionais, acadêmicos e pesquisadores, combinaram suas respectivas abordagens na análise dessas dimensões a fim de analisá-las e interpretá-las de forma mais integrada e completa.

O esforço conjunto e os debates feitos ao longo destes quatro dias levaram a uma avaliação substancial deste contexto no qual predomina o caráter negativo das transformações em curso, para a classe trabalhadora, para o conjunto da população e para um projeto democrático, justo e includente de nação.

A reforma trabalhista e a proposta da reforma da Previdência Social, veiculadas como necessárias à modernização das relações laborais, a fim de garantir a retomada do crescimento econômico e a geração de emprego. Mas isso, não é, senão uma falácia, que mascara o retrocesso civilizatório, retirando direitos das trabalhadoras e trabalhadores, promovendo o aumento da pobreza e da desigualdade, disseminando a insegurança e abrindo caminho para o recrudescimento da violência.

O desmonte das estruturas vinculadas à defesa da classe trabalhadora e às garantias do cumprimento da legalidade nas relações com o empresariado só tende a reforçar e confirmar esse entendimento.

A ABET vem expressar seu profundo repúdio às medidas em processo de implementação e denunciá-las pelos efeitos danosos para trabalhadoras e trabalhadores delas decorrentes.

Ao mesmo tempo, a ABET reafirma seu compromisso com a busca permanente do conhecimento relativo a tudo que diz respeito ao mundo do trabalho, por meio do procedimento sistemático e rigoroso respaldado nos métodos da ciência. Manifesta, também, seu compromisso com a defesa dos direitos das trabalhadoras e trabalhadores por entender que a redução ou a supressão desses direitos compromete o avanço civilizatório da nação brasileira.

Powered by themekiller.com